Monday, 15 June 2020

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento (TIDs)

Introdução aos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento

O termo “distúrbios generalizados do desenvolvimento“, também chamado de TID, refere-se a um grupo de condições que envolvem atrasos no desenvolvimento de muitas habilidades básicas, principalmente a capacidade de socializar com os outros, de se comunicar e de usar a imaginação. As crianças com essas condições geralmente ficam confusas em seus pensamentos e geralmente têm problemas para entender o mundo ao seu redor.

Como essas condições geralmente são identificadas em crianças por volta dos 3 anos de idade – um período crítico no desenvolvimento da criança – elas são chamadas de distúrbios do desenvolvimento. Embora a condição comece muito antes dos 3 anos de idade, os pais geralmente não percebem um problema até que a criança não esteja andando, conversando ou se desenvolvendo, assim como outras crianças da mesma idade.

Transtorno Invasivo do Desenvolvimento

Que condições são consideradas distúrbios invasivos do desenvolvimento?

Existem cinco tipos de distúrbios generalizados do desenvolvimento:

Autismo: crianças com autismo têm problemas com interação social, fingir brincar e comunicação. Eles também têm uma gama limitada de atividades e interesses. Muitas (quase 75%) das crianças com autismo também apresentam algum grau de retardo mental. Psiquiatra DF

Síndrome de Asperger: assim como as crianças com autismo, as crianças com síndrome de Asperger têm dificuldade com a interação e a comunicação social e têm uma gama estreita de interesses. No entanto, crianças com Asperger têm inteligência média ou acima da média e desenvolvem-se normalmente nas áreas da linguagem e cognição (os processos mentais relacionados ao pensamento e ao aprendizado). As crianças com Asperger também costumam ter dificuldade em se concentrar e podem ter pouca coordenação.

Transtorno desintegrativo da infância: crianças com essa condição rara começam seu desenvolvimento normalmente em todas as áreas, físicas e mentais. Em algum momento, geralmente entre 2 e 10 anos de idade, uma criança com esta doença perde muitas das habilidades que desenvolveu. Além da perda de habilidades sociais e de linguagem, uma criança com distúrbio desintegrativo pode perder o controle de outras funções, incluindo o controle do intestino e da bexiga. Psiquiatra Taguatinga

Síndrome de Rett: crianças com esse distúrbio muito raro apresentam os sintomas associados a um TID e sofrem de problemas no desenvolvimento físico. Eles geralmente sofrem a perda de muitas habilidades motoras ou de movimento – como caminhar e usar as mãos – e desenvolvem uma coordenação deficiente. Essa condição foi associada a um defeito no cromossomo X, por isso quase sempre afeta as meninas.

Transtorno invasivo do desenvolvimento não especificado de outra forma (TID-SOE): Esta categoria é usada para se referir a crianças que têm problemas significativos com a comunicação e o brincar, e algumas dificuldades em interagir com outras pessoas, mas são sociais demais para serem consideradas autistas. Psiquiatra Brasilia

Quais são os sintomas dos transtornos invasivos do desenvolvimento?

O uso da palavra “difundida” para descrever essas doenças é um tanto enganador. A definição de difusão é “estar presente o tempo todo”, mas as crianças com TID geralmente não têm problemas em todas as áreas de funcionamento. Em vez disso, a maioria das crianças com TID possui áreas problemáticas específicas e geralmente funciona muito bem em outras áreas.

Crianças com TID, como o autismo, podem exibir uma ampla gama de sintomas que podem variar em gravidade, de leve a incapacitante. Eles também variam amplamente em suas habilidades, inteligência e comportamento individuais. Psicologa Brasilia

Os sintomas gerais que podem estar presentes em algum grau em uma criança com TID incluem:

  • Dificuldade na comunicação verbal, incluindo problemas no uso e no entendimento da linguagem;
  • Dificuldade na comunicação não verbal, como gestos e expressões faciais;
  • Dificuldade com a interação social, incluindo se relacionar com as pessoas e com os arredores;
  • Maneiras incomuns de brincar com brinquedos e outros objetos;
  • Dificuldade em se adaptar às mudanças no ambiente rotineiro ou familiar;
  • Movimentos corporais repetitivos ou padrões de comportamento, como bater as mãos, girar e bater a cabeça;
  • Alterando a resposta ao som. (A criança pode ser muito sensível a alguns ruídos e parecer não ouvir outros.);
  • Birras de temperamento;
  • Dificuldade em dormir;
  • Comportamento agressivo;
  • Medo ou ansiedade (nervosismo).

O post Transtornos Invasivos do Desenvolvimento (TIDs) apareceu primeiro em Marketing para Clínicas Médicas.



from Marketing para Clínicas Médicas https://med-br.com/transtornos-invasivos-do-desenvolvimento-tids/
via IFTTT

Tipos de Lesões no Quadril

A articulação do quadril é definida pelo encontro da bacia/pelve por meio do osso chamado acetábulo, com a coxa através da cabeça do fêmur. Desta forma, se trata da ligação entre o tronco e os membros inferiores. O quadril é responsável por absorver e transmitir o peso corporal e os impactos advindos das atividades diárias. Por esta razão, bem como por englobar diversas estruturas ósseas, cartilaginosas, tendíneas, musculares e neuro vasculares, ele está associado a um grande número de lesões, sendo as mais comuns: Artrose, Osteonecrose, Fratura Luxação da Cabeça/Colo Femoral – Trocantericas, Fraturas Luxação da Pelve – Acetábulo, Tendinopatias – Bursites, Impacto Femoro Acetabular / Lesão Labral, Osteoporose. quadril

Lesões no Quadril

Artrose

Artrose ou osteoartrite é o desgaste e perda progressiva da cartilagem que reveste os componentes da articulação (acetábulo e cabeça femoral). Esse desgaste ocorre em função de alterações mecânicas decorrentes de deformidade local (sequela de traumas – fraturas – deformidades congênitas ou adquiridas ao longo da vida), alterações inflamatórias que lesam diretamente a cartilagem (artrite reumatoide, lúpus, dentre outros), desgaste natural associado ao uso (agravado pelo sobrepeso, atividades de alto impacto ao longo da vida). A perda da cartilagem leva ao aumento excessivo do atrito intra articular, associado à redução progressiva / bloqueio de alguns movimentos e dor severa, o que traz enorme limitação para realização de atividades cotidianas. Seu tratamento depende do grau de acometimento articular e intensidade dos sintomas/limitações, variando desde medicamentos sintomáticos, redução do peso corporal e atividades diárias, reabilitação e atividade física, até o tratamento cirúrgico (osteotomias ou artroplastia). Ortopedista Brasilia

Osteonecrose

Osteonecrose é a morte de células ósseas. Neste caso sendo mais comum acometer a cabeça femoral. Os mecanismos que levam à morte celular ainda são controversos, mas acredita-se haver um aumento de pressão local associado à redução do suprimento vascular. Diversas são as causas que podem causar osteonecrose: doenças inflamatórias, uso de medicamentos como corticoides – quimo e radio terapia, etilismo, tabagismo, uso de drogas, mergulho com uso de cilindro, dentre outros. Seu tratamento depende do local, extensão e grau de acometimento, e inclui medicamentos sintomáticos, restringir temporariamente a carga local com uso de muletas, reabilitação, chegando até ao tratamento cirúrgico com descompressão da área de osteonecrose, ou artroplastia de quadril nos casos mais avançados.

Fratura Luxação da Cabeça/Colo Femoral – Trocantéricas

As fraturas e/ou luxações que acometem a região proximal do fêmur são mais frequentes em adultos jovens, em decorrência de acidentes de alta energia (automobilísticos) e idosos após trauma de baixa energia (quedas da própria altura). Geralmente, o tratamento destas lesões é cirúrgico, e deve ser realizado o mais rápido possível, para melhor controle da dor e reduzir os riscos e complicações associados a esta lesão.

Fraturas Luxação da Pelve – Acetábulo

As fraturas e/ou luxações da pelve e acetábulo geralmente acometem adultos vítimas de acidentes de alta energia, estando, muitas vezes, associadas a outras lesões (neurológicas, tórax, abdominais ou pélvicas). O tratamento pode ser conservador: restrição de carga, repouso, analgesia, fisioterapia; ou cirúrgico – a depender da localização e padrão da fratura, bem como perfil do paciente. Entretanto a avaliação médica multidisciplinar é fundamental e urgente. Ortopedista Brasília

Tendinopatias – Bursites

Tendões são prolongamentos do ventre muscular, compostos por colágenos, que tem a função de se fixar ao osso para promover, juntamente com a contração muscular, o movimento de uma articulação/segmento do corpo. Já a bursa é um fino tecido que reveste proeminências ósseas, estando presente em grande número em todo corpo e que permite um melhor deslizamento muscular e tendíneo sobre o osso. Desta forma, tanto os tendões como as bursas estão sujeitos a processos inflamatórios, comumente associado ao excesso de tração local causado pela falta de alongamento ou aumento de atrito local decorrente de atividades de alto impacto e fraqueza muscular adjacente. A forma mais comum de tendinite e bursite no quadril acomete o trocanter (área lateral e mais proeminente da coxa), sendo o tendão glúteo médio e as bursas trocantéricas as estruturas geralmente inflamadas. Seu tratamento, via de regra é conservador, com medidas analgésicas e anti inflamatórias locais, medicamentos, reabilitação com ênfase para alongamento e fortalecimento. Há, ainda, a possibilidade de infiltração local com agentes anestésicos e anti inflamatórios. Casos isolado e e refratários ao tratamento conservador podem ser candidatos ao tratamento cirúrgico.

Impacto Femoro-Acetabular / Lesão Labral

O lábrum é uma estrutura fibroelástica de reveste toda a bora do acetábulo (como um toldo), e tem a função de vedar a articulação do quadril, melhora sua congruência, e contribui para a estabilidade local. Neste caso, pode haver impacto ou contusão entre o acetábulo e a região proximal do fêmur (geralmente colo femoral). Ele ocorre em decorrência de alguma alteração na forma ou orientação destas estruturas (aumento da cobertura acetabular ou proeminência óssea na região do fêmur proximal ou acetabular) ou movimentos extremos (abertura excessiva em bailarinos, por exemplo). Com isso, em determinadas posições da articulação, há o choque entre essas estruturas levando à contusão e lesão local. Este processo pode ser agravada com o passar do tempo, acometendo estruturas adjacentes – inclusive o lábrum, podendo levar à artrose do quadril. O tratamento do impacto femoro-acetabular associado ou não à lesão labral, como na maioria das lesões, depende do grau de acometimento, características e atividades realizadas pelo paciente, intensidade de sintomas. Inicialmente realiza-se reabilitação – fisioterapia associado a medidas analgésicas e anti inflamatórias, mudança de hábitos e atividades. Os casos refratários são candidatos ao tratamento cirúrgico – cirurgia aberta ou artroscopia. Ortopedista DF

Osteoporose

O osso é uma estrutura em constante mudança, havendo um processo contínuo de remodelamento com a retirada de células antigas e deposição de células jovens. Este ciclo deve ocorrer de forma equilibrada para garantir um adequado estoque ósseo. Quando há desbalanço entre a quantidade de osso removida e a depositada, instala-se um processo de enfraquecimento ósseo que leva, inicialmente à osteopenia (redução moderada da massa óssea), podendo chegar à osteoporose (redução acentuada da densidade óssea). Tanto a osteopenia quanto a osteoporose não causam dor ou qualquer sintoma. Todavia, elas levam a um maior risco de fraturas com traumas de baixa energia, especialmente do punho, coluna, quadril. Sendo assim, ela deve ser tratada com mudanças de hábitos, dieta, atividade física e medicação.

O post Tipos de Lesões no Quadril apareceu primeiro em Marketing para Clínicas Médicas.



from Marketing para Clínicas Médicas https://med-br.com/tipos-de-lesoes-no-quadril/
via IFTTT

Thursday, 21 May 2020

Obesidade em Pacientes com Coronavírus (Covid-19)

Obesidade aumenta as chances de coágulos pulmonares perigosos em pacientes com COVID-19

A obesidade piora o COVID-19 e pode levar a coágulos sanguíneos mortais nos pulmões. Os pesquisadores disseram que pacientes obesos com COVID-19 podem ter quase três vezes o risco de desenvolver o que é conhecido como embolia pulmonar. Os médicos podem utilizar nossas descobertas para ajudar a determinar quais pacientes devem avaliar a embolia pulmonar com angiografia por TC pulmonar, já que os sintomas do COVID-19 e da embolia pulmonar se sobrepõem. Endocrinologista Taguatinga

obesidade

A detecção precoce de embolia pulmonar pode permitir tratamento imediato com anticoagulação e minimizar problemas clínicos. Pacientes obesos hospitalizados com COVID-19 devem ser avaliados quanto a aumentos na coagulação, indicados pelo aumento do dímero D – um exame de sangue para coagulação.

De acordo com o estudo, 22% dos 328 pacientes que sofrem de COVID-19 que tinha uma tomografia computadorizada angiografia teve uma embolia pulmonar. Os pesquisadores também descobriram que pacientes que tomavam estatinas para baixar o colesterol antes de tomar COVID-19 eram menos propensos a apresentar embolia pulmonar.

Mais estudos são necessários para determinar se as estatinas têm um efeito protetor contra a embolia pulmonar em pacientes com COVID-19. um estudo recente sugere que os pacientes com COVID-19 devem ser colocados em anticoagulantes para evitar a coagulação. A obesidade pode piorar o COVID-19 porque está associado a um aumento da inflamação. A inflamação também aumenta o risco de coagulação. Endocrinologista Florianopolis

Este estudo ressalta um ponto que está se tornando mais conhecido sobre o COVID-19 – que a obesidade leva a uma cascata inflamatória. Sabemos que os produtos químicos inflamatórios aumentam com a obesidade. Esse é o mecanismo suspeito de por que os pacientes obesos correm maior risco de complicações. A inflamação pode levar a coágulos sanguíneos, embora isso não tenha sido comprovado.

As complicações do COVID-19 que estamos vendo são inflamação e uma tempestade de citocinas, que causa inflamação nas artérias e coágulos sanguíneos por todo o corpo – e a obesidade é a culpada em pacientes de alto risco. Dizer que é por isso que estamos vendo mais embolia pulmonar em pacientes obesos é plausível. São pequenos números iniciais, mas é uma descoberta muito importante e não é surpreendente. Angiologista Taguatinga

Mas se as estatinas são protetoras é algo que deveria ser cuidadosamente estudado. Não há razão clara para iniciar pacientes obesos com estatinas se eles ainda não os tomavam quando foram internados no hospital. Pacientes obesos com COVID-19 precisam dos mesmos cuidados que outros pacientes. Isso inclui anticoagulação. Muitas das complicações do COVID-19 parecem ser causadas pela coagulação, e iniciar pacientes com anticoagulantes pode se tornar um tratamento padrão.

Já estamos começando a analisar a anticoagulação preventiva. Já é algo de que estamos muito conscientes, mas este estudo adiciona evidências a uma correlação direta entre obesidade e coágulos sanguíneos, é isso que há de novo aqui.

O post Obesidade em Pacientes com Coronavírus (Covid-19) apareceu primeiro em Marketing para Clínicas Médicas.



from Marketing para Clínicas Médicas https://med-br.com/obesidade-em-pacientes-com-coronavirus-covid-19/
via IFTTT

Thursday, 7 May 2020

Saúde Mental – Distúrbios Factícios

Transtornos factícios são condições em que uma pessoa age como se tivesse uma doença física ou mental quando não está realmente doente. Transtorno factício por procuração é quando uma pessoa age como se uma pessoa sob seus cuidados tivesse uma doença quando não o fez.

Pessoas com distúrbios factícios deliberadamente criam ou exageram os sintomas de uma doença de várias maneiras. Eles podem mentir ou fingir sintomas, se machucar para provocar sintomas ou alterar testes (como contaminar uma amostra de urina) para fazer parecer que eles ou a pessoa sob seus cuidados estão doentes. Psiquiatra Taguatinga

psiquiatra

Pessoas com distúrbios factícios se comportam dessa maneira devido a uma necessidade interna de ser vista como doente ou ferida, para não obter um benefício claro, como ganho financeiro. Pessoas com distúrbios factícios estão até dispostas e, às vezes, ansiosas para passar por testes e operações dolorosas ou arriscadas, a fim de obter a simpatia e atenção especial dada às pessoas que estão verdadeiramente doentes ou que têm um ente querido que está doente. Transtornos factícios são considerados doenças mentais porque estão associados a graves dificuldades emocionais.

Muitas pessoas com distúrbios factícios também sofrem de outras condições mentais, principalmente distúrbios de personalidade. Pessoas com transtornos de personalidade têm padrões antigos de pensamento e ação que diferem do que a sociedade considera habitual ou normal. Essas pessoas geralmente também têm habilidades e problemas de enfrentamento deficientes, formando relacionamentos saudáveis. Psiquiatra Brasilia

Os distúrbios factícios são semelhantes a outro grupo de transtornos mentais chamados distúrbios somatoformes, que também envolvem a presença de sintomas que não são devidos a doenças físicas ou mentais reais. A principal diferença entre os dois grupos de distúrbios é que as pessoas com distúrbios somatoformes não fingem sintomas ou enganam outras pessoas sobre seus sintomas de propósito.

Tipos de distúrbios factícios

Existem quatro tipos principais de distúrbios factícios, incluindo:

  • Transtorno factício com sintomas principalmente psicológicos: como a descrição indica, as pessoas com esse distúrbio imitam um comportamento típico de uma doença mental, como a esquizofrenia. Eles podem parecer confusos, fazer afirmações absurdas e relatar alucinações, a experiência de sentir coisas que não existem; por exemplo, ouvindo vozes. A síndrome de Ganser, às vezes chamada de psicose na prisão, é um distúrbio factício que foi observado pela primeira vez em prisioneiros. Pessoas com síndrome de Ganser apresentam episódios curtos de comportamento bizarro, semelhantes aos mostrados por pessoas com doenças mentais graves.
  • Transtorno factício com sintomas principalmente físicos: as pessoas com esse distúrbio afirmam ter sintomas relacionados a uma doença física, como sintomas de dor no peito, problemas estomacais ou febre. Às vezes, esse distúrbio é chamado de síndrome de Munchausen, em homenagem ao Barão von Munchausen, um oficial alemão do século 18 que era conhecido por embelezar as histórias de sua vida e experiências. Psicologa Brasilia
  • Transtorno factício com sintomas psicológicos e físicos: as pessoas com esse distúrbio produzem sintomas de doenças físicas e mentais.
  • Transtorno factício não especificado de outro modo: esse tipo inclui um distúrbio chamado transtorno factício por procuração (também chamado de síndrome de Munchausen por procuração). Pessoas com esse distúrbio produzem ou fabricam sintomas de doença em outra pessoa sob seus cuidados. Ocorre com mais frequência em mães (embora possa ocorrer em pais) que intencionalmente prejudicam seus filhos para receber atenção.

O post Saúde Mental – Distúrbios Factícios apareceu primeiro em MED-BR - Marketing par Clínicas e Médicos.



from MED-BR – Marketing par Clínicas e Médicos https://med-br.com/saude-mental-disturbios-facticios/
via IFTTT

Cartilagem do Nariz usada para Reparar Joelhos Danificados

Usando células da cartilagem no nariz dos pacientes, os médicos suíços fizeram adesivos com sucesso para tratar 10 adultos cuja cartilagem do joelho foi danificada por lesão. Dois anos após os transplantes, a maioria dos pacientes cultivou nova cartilagem nos joelhos e relatou melhora na dor, função do joelho e qualidade de vida.

Desenvolvemos uma abordagem nova e promissora para o tratamento de lesões na cartilagem articular. Embora os resultados desse estudo preliminar sejam encorajadores, são necessárias mais pesquisas antes que essa técnica se torne amplamente disponível. Antes que isso possa ser oferecido aos pacientes como tratamento padrão, obviamente ele precisa ser testado em um número maior de pacientes e em ensaios randomizados com avaliação a longo prazo dos resultados clínicos. Otorrino brasilia

otorrino

O tratamento de lesões na cartilagem continua sendo um problema clínico significativo, e não há tratamento padrão-ouro nem tratamento ideal disponível. O uso de células do nariz para reparo das articulações é completamente novo. A cartilagem nasal pode ser uma ótima fonte para o reparo da cartilagem; no entanto, mais estudos clínicos são necessários.

O enxerto modificado foi cortado na forma correta e utilizado para substituir a cartilagem danificada após a remoção cirúrgica do joelho do paciente. Com o procedimento, apenas uma pequena amostra de células é retirada do nariz, usando um anestésico local. Após o reparo do joelho, o paciente fica de muletas por seis a oito semanas. Normalmente, leva vários meses para uma recuperação. Rinoplastia Brasilia

Dois anos após o procedimento, os exames de ressonância magnética revelaram um novo tecido semelhante à cartilagem normal do joelho. Além disso, nove pacientes relataram melhorias no uso do joelho e menos dor. Um paciente foi excluído por causa de várias novas lesões esportivas.

Nenhuma reação ruim foi relatada, mas dois eventos adversos sérios não relacionados ao procedimento ocorreram – uma lesão independente no joelho não tratado e novos danos na cartilagem em outras áreas do joelho tratado. Mesmo pequenas lesões na cartilagem articular podem causar dor, limitar a caminhada e a corrida e restringir o movimento articular. Com o tempo, a cartilagem saudável circundante pode se deteriorar – resultando em artrite. Otorrino Ceilandia

Uma variedade de procedimentos cirúrgicos foram desenvolvidos para preencher “buracos” na cartilagem articular, com sucesso variável. Nas últimas duas décadas, os cirurgiões conseguiram retirar células da cartilagem do joelho, cultivá-las em laboratório e colocá-las de volta no joelho de um paciente. Este novo estudo demonstra a plausibilidade de retirar células cartilaginosas do nariz em um procedimento menos invasivo que requer apenas anestesia local. Se os resultados do estudo puderem ser duplicados e estendidos para um número maior de pacientes, este é um passo à frente na restauração da cartilagem articular, e aplaudo os esforços de pesquisa.

otorrinolaringologia é uma especialidade médica que tem como campo de atuação o diagnóstico e tratamento das doenças que afetam ouvido, nariz, seios paranasais, faringe, laringe, cabeça e pescoço. A rinoplastia pode melhorar a aparência do nariz e sua função respiratória a partir da modificação de aspectos como tamanho, largura, perfil, ponta nasal, abertura das narinas e desvio de septo. Em virtude de trabalhar estruturas delicadas, a cirurgia deve ser realizada por médico com formação cirúrgica adequada, como o otorrinolaringologista. Embora também trate problemas relacionados a outras áreas do corpo humano — como ouvido, seios paranasais, faringe, laringe, cabeça e pescoço —, o otorrinolaringologista é o especialista que melhor conhece o nariz. Dessa forma, sua operação não considera somente a perspectiva estética da rinoplastia, mas igualmente contempla a recuperação da funcionalidade nasal.

O post Cartilagem do Nariz usada para Reparar Joelhos Danificados apareceu primeiro em MED-BR - Marketing par Clínicas e Médicos.



from MED-BR – Marketing par Clínicas e Médicos https://med-br.com/cartilagem-do-nariz-usada-para-reparar-joelhos-danificados/
via IFTTT

As últimas Notícias, Atualizações e Informações sobre o Corona Vírus (COVID-19)

À medida que mais evidências surgem de que o COVID-19 está ligado a um risco aumentado de coágulos sanguíneos perigosos, novas pesquisas sugerem que dar aos pacientes mais finos o sangue pode melhorar suas chances de sobrevivência. O uso de anticoagulantes deve ser considerado quando os pacientes são admitidos no pronto-socorro e têm teste positivo para COVID-19, para possivelmente melhorar os resultados. Angiologista Taguatinga

corona vírus

Nas últimas semanas, os médicos que cuidam de pacientes hospitalizados com COVID-19 aumentaram o alarme depois que pacientes mais jovens desenvolveram coágulos e derrames com risco de vida. Os pacientes tinham entre 33 e 49 anos de idade – muito jovens a serem atingidos por um derrame. A coagulação associada ao COVID-19 é tão pronunciada que “algumas pessoas estão começando a dizer: ‘Olha, qualquer pessoa que chega ao hospital precisa usar'” anticoagulantes no início do tratamento.

Desses pacientes, 28% receberam uma dose completa de anticoagulantes, uma quantidade geralmente administrada a pessoas com ou com suspeita de coágulos sanguíneos. A terapia para diluir o sangue foi associada à melhora da sobrevida dos pacientes com COVID-19, dentro e fora da terapia intensiva, disseram os autores do estudo.

Entre os pacientes colocados em ventiladores, quase 63% daqueles que não foram tratados com anticoagulantes morreram, em comparação com 29% daqueles que receberam os medicamentos, relataram os pesquisadores. Entre os pacientes que usaram ventiladores que morreram, aqueles que não receberam anticoagulantes morreram após nove dias, enquanto aqueles que receberam os medicamentos morreram após 21 dias. Endocrinologista Taguatinga

De todos os pacientes que morreram, aqueles em anticoagulantes morreu depois de passar uma média de 21 dias no hospital, enquanto aqueles que não receberam anticoagulantes morreu depois de uma média de 14 dias no hospital. É importante ressaltar que não houve diferença significativa nos eventos hemorrágicos entre os pacientes que receberam ou não receberam anticoagulantes. Dois médicos desconectados do novo estudo concordaram que os anticoagulantes podem ser necessários em muitos pacientes com COVID-19.

Novo estirpe de corona vírus é mais contagioso

Uma nova cepa mutada do corona vírus que causa o COVID-19 se tornou dominante e parece ser mais contagiosa do que a cepa que se espalhou durante os estágios iniciais da pandemia, relatam os cientistas. Eles disseram que a nova cepa apareceu em fevereiro na Europa, se espalhou para a costa leste dos Estados Unidos e tem sido a cepa dominante em todo o mundo desde meados de março. A nova cepa se espalha mais rapidamente e pode tornar as pessoas suscetíveis a uma segunda infecção por COVID-19, mas não parece ser mais mortal. Psiquiatra Taguatinga

Os cientistas disseram que havia uma “necessidade urgente de um alerta precoce” para que vacinas e medicamentos em desenvolvimento para combater o novo corona vírus sejam eficazes contra a cepa mutada. Para o estudo, os pesquisadores realizaram uma análise computacional de mais de 6.000 sequências genéticas de corona vírus de todo o mundo. Não se sabe por que a nova cepa é mais infecciosa que as cepas anteriores. A história é preocupante, pois vemos uma forma mutada do vírus emergindo muito rapidamente e, durante o mês de março, se tornando a forma pandêmica dominante. Quando os vírus com essa mutação entram na população, eles rapidamente começam a dominar a epidemia local, tornando-os mais transmissíveis.

O post As últimas Notícias, Atualizações e Informações sobre o Corona Vírus (COVID-19) apareceu primeiro em MED-BR - Marketing par Clínicas e Médicos.



from MED-BR – Marketing par Clínicas e Médicos https://med-br.com/as-ultimas-noticias-atualizacoes-e-informacoes-sobre-o-corona-virus-covid-19/
via IFTTT

Friday, 1 May 2020

Rompimento do Ligamento do Joelho

Definição e fatos:

  • O ligamento cruzado anterior é um dos quatro ligamentos no joelho que fornece estabilização para a articulação do joelho;
  • Ligamento cruzado anterior rasgadas são uma lesão comum no joelho;
  • Uma ruptura ou entorse do ligamento cruzado anterior ocorre com uma mudança repentina de direção ou gira contra um joelho travado;
  • Um estalo, seguido de dor e inchaço do joelho, são os sintomas mais comuns de uma ruptura do ligamento cruzado anterior;
  • As mulheres são mais propensas a romper o ligamento cruzado anterior devido a diferenças na anatomia e na função muscular;
  • Os objetivos do tratamento são retornar o paciente ao seu nível de função pré-lesão. A cirurgia artroscópica pode ser necessária para reconstruir o ligamento rompido;
  • Pode levar de seis a nove meses para retornar à atividade normal após uma lesão no ligamento cruzado anterior.

ortopedista

Qual é a função da articulação do joelho?

O objetivo da articulação do joelho é dobrar e endireitar (flexionar e estender), permitindo que o corpo mude de posição. A capacidade de dobrar o joelho torna atividades como caminhar, correr, pular, ficar em pé e se sentar muito mais fácil e mais eficiente.

O osso da coxa (fêmur) e a canela (tíbia) encontram a rótula (patela) para formar a articulação do joelho. As extremidades arredondadas do fêmur, ou côndilos, alinham-se com as partes superiores planas da tíbia chamadas platôs. Existem várias estruturas que mantêm a articulação do joelho estável e permitem que os côndilos e os platôs mantenham sua relação anatômica, para que o joelho possa deslizar facilmente através de sua amplitude de movimento. O joelho é uma articulação da dobradiça, mas também ocorre alguma rotação quando se dobra e se endireita.

Existem quatro bandas grossas de tecido, chamadas ligamentos, que estabilizam o joelho e mantêm seu movimento em um plano.

  • O ligamento colateral medial (LMC) e o ligamento colateral lateral (LCL) estabilizam os lados do joelho, impedindo a flambagem lateral;
  • O ligamento cruzado anterior (LCA) e o ligamento cruzado posterior (PCL) formam um X no interior da articulação do joelho e impedem que o joelho deslize de trás para frente e de frente para trás, respectivamente.

Os principais músculos da coxa também atuam como estabilizadores: o quadríceps na frente da perna e os isquiotibiais nas costas. Ortopedista Brasília

Uma entorse ocorre quando um ligamento é lesionado e as fibras são esticadas ou rasgadas. Uma entorse de primeiro grau é um ligamento esticado, mas sem fibras rasgadas, enquanto uma entorse de segundo grau é um ligamento parcialmente rasgado. Uma entorse de terceiro grau é um ligamento completamente rasgado. Ortopedista Brasilia

O que é um ligamento cruzado anterior rasgado?

Um ligamento cruzado anterior (LCA) rasgado é uma entorse de segundo ou terceiro grau do ligamento cruzado anterior. O ligamento cruzado anterior surge da frente do côndilo femoral medial e passa pelo meio do joelho para se conectar entre os afloramentos ósseos (chamados de coluna da tíbia) que estão localizados entre os platôs da tíbia. É uma estrutura pequena, com menos de 1,5 cm de comprimento e 2,5 cm de largura. O ligamento cruzado anterior é vital para impedir que o fêmur deslize para trás na tíbia (ou, do outro ponto de vista, a tíbia deslize para frente sob o fêmur). O ligamento cruzado anterior também impede que o joelho gire, o movimento que ocorre quando o pé é plantado e a perna gira. Sem um ligamento cruzado anterior normal, o joelho fica instável e pode dobrar, especialmente quando a perna é plantada e são feitas tentativas para parar ou girar rapidamente.

Quais são os sintomas e sinais de uma lesão do ligamento cruzado anterior?

Com uma lesão aguda, o paciente geralmente descreve que ouviu um estalo alto e depois desenvolveu dor intensa no joelho. A dor torna muito difícil caminhar ou suportar peso. A articulação do joelho começará a inchar dentro de algumas horas por causa de um sangramento na articulação, dificultando o endireitamento do joelho.

Se não for tratado, o joelho se sentirá instável e o paciente poderá se queixar de dores e inchaços recorrentes e ceder, principalmente quando andar em terreno irregular ou subir ou descer degraus.

O que causa uma lesão do ligamento cruzado anterior em homens e mulheres?

A maioria das lesões do ligamento cruzado anterior ocorre devido a lesão, geralmente em um esporte ou atividade física. O ligamento fica esticado ou rasga quando o pé é firmemente plantado e o joelho trava e torce ou gira ao mesmo tempo. Isso geralmente ocorre no basquete, futebol, futebol e ginástica, onde uma mudança repentina de direção estressa e danifica o ligamento. Essas lesões geralmente não têm contato, ocorrem em baixa velocidade e ocorrem quando o corpo está desacelerando.

As lesões do ligamento cruzado anterior também podem ocorrer quando a tíbia é empurrada para a frente em relação ao fêmur. Esse é o mecanismo de lesão que ocorre devido a uma queda ao esquiar, de um golpe direto na frente do joelho (como no futebol) quando o pé é plantado no chão ou em um acidente de carro.

O post Rompimento do Ligamento do Joelho apareceu primeiro em MED-BR - Marketing par Clínicas e Médicos.



from MED-BR – Marketing par Clínicas e Médicos https://med-br.com/rompimento-do-ligamento-do-joelho/
via IFTTT

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento (TIDs)

Introdução aos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento O termo “ distúrbios generalizados do desenvolvimento “, também chamado de TID , re...